Pages

04/10/2010

O modo de ver as coisas.

Eu tinha medo de encarar as coisas, tinha medo de bater de frente e depois me machucar, tinha medo de me expor e as pessoas falarem de mim, eu não queria ver as coisas preferia me esconder delas. Mas depois que decidir e tomei a decisão de que tenho que encarar as coisas de um modo diferente, também achei doloroso, aliás, quase tudo na vida é doloroso, você sofre, sofre e sofre mais ainda, não para de sofrer, uma dor involuntária, independente de que caminho que você escolha, você vai quebrar a cara de qualquer forma, não é que eu seja pessimista, eu sou realista, e desconfio de tudo o que acontece, eu aprendi a ser assim, aprendi a desconfiar de tudo em volta de mim, é sempre assim, uma dor maior que a outra, uma decepção maior, mais uma mágoa pra sua coleção, mais remoço, um problema atrás do outro. Sabe, que as vezes eu sinto falta da pessoa que eu era antes, eu via as coisas de um modo diferente, com mais ilusão, e um pouco de otimismo, pensava positivo, e hoje tudo isso foi por água a baixo, desabou, mas foi bom, eu aprendi e cresci, melhor desilusão do que ilusão, mas ainda tenho medo da desilusão, da realidade, mas eu sou assim mesmo, vou mudando de opinião sempre, reclamo da ilusão e da desilusão, não sei manter eles com "equilíbrio", tenho até medo porque antes eu tinha medo do escuro, hoje eu tenho medo do que posso ver no claro.

2 comentários:

Paulo Tamburro disse...

TUDO BEM PAUULA?

Gostei, realmente do seu blog e pode ter a certeza, de que voltarei sempre aqui.

Muito bom.

Um convite:

A crônica de humor no meu blog desta semana é sobre adultério em família!

O tema é bastante atual.

Leia abaixo, um trecho e caso goste, vá até ao meu blog.

Combinado?

INIMIGOS CORDIAIS

Nunca se deram , porém como manda a boa norma de convivência social, suportavam-se pois, eram cunhados e assim deveriam caminhar as coisas, com elegância e sem maiores baixarias.

João Pedro e José Paulo eram os inimigos cordialíssimos e nos seus nomes traziam a imagem de quatro dos apóstolos de Jesus.Mais uma razão para não semearem sobre a terra o ódio, nem a luta fratricida entre famílias, pois afinal:”Ama a teu próximo, assim como vos amei” é a máxima filosófica do grande mestre que não poderia ser contrariada , de forma tão aviltante.

Porém,o inesperado fez uma surpresa numa festa de aniversários de um dos filhos de João Pedro , na qual José Paulo encheu a cara de manguaça, exagerou no combustível etílico e ficou muito doidão...



ENTÃO É ISSO AÍ!

UM ABRAÇÃO CARIOCA

Pauula G. disse...

Ah! obrigado *-* , vou olhar seu blog.

Postar um comentário